(11) 5522-0313 clinica@reginaortega.com.br

Contato

Este exame feito em cabine audiométrica serve para avaliar a saúde auditiva do trabalhador que trabalha em setores sujeitos à ruído.

A indicação para fazer este exame é feita pelo Médico do Trabalho.

Avaliação audiológica feita após repouso auditivo de 14 horas.

*Manter aparelhos eletrônicos desligados.

Recomendações:

  • O paciente deve comparecer à clínica com documento (no caso do atendimento pelo convênio, deve apresentar o cartão válido)
  • O exame é realizado somente com pedido médico
  • Há necessidade de apresentar resultado de audiometria anteriores no dia do exame.
  • De preferência, o paciente não deve estar com dor ou secreção no canal do ouvido no dia do exame

Atenção:

A Clínica Regina Ortega não realiza este exame com sedação. No caso de crianças pequenas ou que não colaboram com a realização do exame, recomendamos a marcação de horários em que a criança esteja dormindo. Em alguns casos, o exame pode não ser realizado.

Este exame completo detecta problemas auditivos que não são apenas aparentes, como por exemplo:
Infecções de ouvido freqüentes, que nem sempre são acompanhadas de dores de ouvido e perda auditiva causada por ruído que atinge freqüências que não se encontram na “zona de fala”, sendo imperceptível para própria pessoa.
A presença de rola de cera com certa freqüência é um indicio de que o ouvido esta se defendendo de uma agressão sempre após a retirada do cerume é importante fazer um exame de rotina.

*Durante a realização do  exame aparelhos eletrônicos desligados.

Este exame avalia a capacidade do indivíduo em processar os sons ambientais e os sinais de fala, recebidos pelo seu órgão auditivo mais externo até a compreensão pelo córtex cerebral.

Em outras palavras, seria fazer uma avaliação de como os sons, de um modo geral, estão sendo processados (compreendidos) na mente humana.

Sinais comuns de distúrbios de processamento auditivo central (DPAC):

  • Indivíduo que tem audição normal, mas não entende o que está sendo dito

  • Respostas inconsistentes para as instruções verbais  

  • Dificuldade no aprendizado da escola

  • Períodos curtos de atenção, facilmente de cansam em atividades longas ou complexas

  • Pedem para repetir a informação com freqüência (ã??)

  • Não conseguir isolar sons da palavra ou fazer rimas

  • Crianças com histórico de otites médias no primeiro ano de vida, ou mesmo de rinites alérgicas (disfunção tubária)

  • Dificuldades em localizar com precisão a fonte sonora

  • Dificuldade em memorizar informações verbais (não decoram dias da semana, meses do ano, telefone, alfabeto, músicas, etc)

  • Distraem-se com facilidade por causa de qualquer outro estímulo (visual, auditivo, etc)

  • Desorganização e desatenção no cotidiano

*Durante a realização do  exame aparelhos eletrônicos desligados.

O B.E.R.A. é um exame que visa avaliar a integridade das vias auditivas desde o nervo auditivo até o cérebro (tronco encefálico). Na prática, este usado para confirmar ou descartar o diagnóstico e provável localização de tumores e outras doenças do nervo da audição, diferenciar tipos de perda auditiva, além de ser muito útil como método para determinar deficiência auditiva em crianças que ainda não são capazes de realiza uma audiometria clássica.

Preparo :

Não usar maquiagem no dia do exame, lavar o rosto com água e sabão.

*Durante a realização do  exame aparelhos eletrônicos desligados.

O Exame de Emissões Otoacústicas Evocadas por estímulo transiente (EOAs) é um teste objetivo, rápido e indolor, de grande valia para o diagnóstico diferencial e para avaliação de pacientes com dificuldade de responder à audiometria convencional.
Inicialmente, este procedimento foi utilizado para a triagem auditiva neonatal, visando o diagnóstico precoce das perdas auditivas na infância atualmente, vem sendo utilizado também como um exame complementar na prática clínica.
A pesquisa das EOAs dura cerca de 10 minutos – desde que o paciente esteja calmo (no caso de crianças) e em silêncio as únicas recomendações dadas ao paciente ou ao responsável é para manter silêncio pois o exame sofre muita influência de ruídos internos (mastigação, respiração) e externos.
O exame avalia, essencialmente, a função das Células Ciliadas Externas e pode sofrer influência de alterações de Orelha Externa e Orelha Média. Com um resultado de EOAs presente, podemos inferir que o paciente apresenta limiares auditivos até 30 dBNA.
As principais indicações do exame são:
• Bebês – triagem auditiva, podendo ser realizado a partir das primeiras 36 horas de vida caso o bebê apresente algum riso para deficiência auditiva ou ausência de EOAs, indicamos também a realizado do Potencial Auditivo Evocado de Tronco Encefálico, Audiometria Comportamental frente à estímulos instrumentais e acompanhamento do desenvolvimento auditivo com avaliações periódicas
• Pacientes com dificuldade de responder aos exames subjetivos – crianças e adultos com algum tipo de défict cognitivo
• Suspeita de simulação de perda auditiva
• Auxiliar no diagnóstico diferencial entre os tipos de perda auditiva
• Indivíduos com história de exposição à ruído
• Suspeita de tumores do VIII par
• Pacientes em fase de seleção e adaptação de próteses auditivas.

Desde junho de 2003 a Clínica Regina Ortega dispõe de mais este serviço para o auxílio do topodiagnóstico.

Com a detecção da deficiência auditiva após o segundo ano de vida, a criança perde, por causa de seu mundo silencioso, a fase mais importante da aquisição de linguagem e provavelmente terá dificuldades não só para se comunicar, mas também em sua relação com a família Infelizmente, no Brasil, a idade média de diagnóstico da perda auditiva neurossensorial severa a profunda é muito tardia, em torno de 4 anos de idade.

Lembre-se de que ouvir é fundamental para o desenvolvimento da fala e da linguagem.

*Durante a realização do  exame aparelhos eletrônicos desligados.

Com uma sonda posicionada na entrada do conduto auditivo, é realizada duas medidas: A Timpanometria e o reflexo estápedico.

É um exame rápido e indolor.

*Durante a realização do  exame aparelhos eletrônicos desligados.

Também chamada de videonasofibroscopia, videonasolaringoscopia com endoscópio flexível ou nasofibroscopia nada mais é do que uma endoscopia do nariz e da garganta. Semelhante ao exame de endoscopia digestiva, é introduzida uma fibra ótica dentro do nariz passando pela garganta, para visualizar suas estruturas internas.

Esse exame tem como objetivo avaliar as vias aéreas superiores, é realizado através de uma fibraótica introduzida pelas narinas sendo capaz de observar alterações da anatomia (formato) das fossas nasais, faringe e laringe além de observar o funcionamento dos mesmos.  É um exame que normalmente não apresenta dor para sua realização e pode ser utilizado um anestésico tópico previamente.

Esse exame necessita de um jejum de 2 horas, pois os restos de alimentos podem confundir a avaliação por alterar coloração e consistência de secreções. É necessário acompanhante somente no caso de menores de 18 anos.

O exame dura em média 10 minutos.

Na Clínica Regina Ortega não é realizado o exame sob sedação.

*Durante a realização do  exame aparelhos eletrônicos desligados.

Trata-se de um conjunto de exames especializados de precisão, destinados ao estudo semiológico dos distúrbios funcionais do labirinto e avaliação auditiva.

Referidos exames compreendem a análise das perturbações espontâneas (vertigem, o nistagmo espontâneo, o nistagmo de posição, as alterações do equilíbrio e os movimentos reacionais), das alterações provocadas (prova rotatória, provas térmicas, nistagmo optocinético, rastreio ocular e prova galvânica) e testes para verificação da acuidade auditiva .

*Durante a realização do  exame aparelhos eletrônicos desligados.

Trata-se de um procedimento eletrofisiológico que tem por objetivo avaliar ao mesmo tempo os limiares auditivos de várias freqüências (500, 1000, 2000 e 4000Hz) em ambas as orelhas.

É um exame indicado para qualquer indivíduo que não responda bem à audiometria tonal convencional , ou para aqueles que não têm condições de fazê-la, como por exemplo crianças muito pequenas que não a respondem de forma consistente.

É um exame indolor, cuja duração é de 30 a 45 minutos, onde são utilizados quatro eletrodos, sendo dois deles colocados na testa e dois nas mastóides do paciente, que deve estar bem relaxado ou em sono natural.

Este exame pode ser utilizado para predizer os limiares auditivos da audiometria tonal, sendo de grande valia na seleção precoce de aparelhos de amplificação sonora individual em crianças.

*Durante a realização do  exame aparelhos eletrônicos desligados.

Os Testes Cutâneos-Alérgicos de sensibilidade imediata são testes realizados para diagnóstico de alergias respiratórias e alimentares. Conhecido também como Teste Alérgico de Leitura Imediata ou Prick Test tem resultado rápido (de 30 à 60 min).O teste é aplicado no antebraço com os alérgenos indicados para cada paciente. Este procedimento não causa dor.

Treinamento Auditivo em Cabine :é constituído de um conjunto de condições e/ou tarefas acústicas designadas para ativar o sistema auditivo e sistemas relacionados, de tal maneira que suas bases neurais e comportamentos auditivos associados são alterados de maneira positiva. Este treinamento é montado de acordo com a necessidade de cada individuo, levando-se em consideração o déficit de cada paciente. O treinamento auditivo não formal pode ser visto de duas maneiras: a primeira, como um grupo de atividades/tarefas para aprimorar a percepção auditiva; e a segunda, como um treinamento inserido ao processo de fonoterapia.

Este Programas programa de treinamento auditivo, que pretendem possibilitar mudanças estruturais e funcionais, devem ser aplicados com material auditivo que não os testes utilizados no diagnóstico, os quais devem ser reservados apenas para a avaliação. As tarefas oferecidas devem ser desafiantes, embora possíveis, com o objetivo de estimular as habilidades auditivas,  facilitando o processo de aprendizagem.

 Quem deve fazer o Treinamento Auditivo?

O treinamento auditivo deve ser feito em pacientes que apresentaram déficit em uma ou mais habilidade auditiva no exame de processamento auditivo. É necessário já ter realizado a avaliação de Processamento Auditivo Central, sem este resultado de exame, não é possíve iniciar o treinamento.
É muito importante a realização da avaliação para treinamento em cabine, pois não são todos os pacientes com o processamento auditivo central aletrado que são candidatos para realizar o treinamento auditivo no presente momento.  

Em quanto tempo o paciente é atendido? 

O treinamento auditivo é geralmente feito em 10 sessões, mas pode variar de acordo com a necessidade de cada paciente. Este prazo é definido, na avaliação de treinamento em cabine

*Durante a realização do  exame aparelhos eletrônicos desligados.